quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

NINGUÉM MUDA NINGUÉM MAS TODOS NOS MUDAM


É isso que eu acho.
Quando julgamos que conseguimos mudar alguém e empenhamo-nos nisso, aparentemente as pessoas mudam. Mas essa mudança é sempre transitória. Mais ou menos rapidamente as mudanças que julgamos ter feito nos outros não só desaparecem, como se voltam contra nós. Os outros, por mais subtis que sejam as nossas tentativas de os tentar mudar, acabam por perceber isso e, nessa altura, atiram-nos isso à cara... Sentem, com razão, que nós gostávamos do produto final, imaginado por nós, não da pessoa tal como era.
Mas nós mudamos ao longo da vida e em grande parte são os outros que nos mudam. Mas nunca de forma intencional.
A própria percepção de que os outros nos tentam mudar, nos muda, mas não da forma como os outros queriam.
De qualquer forma acho que a nossa essência nunca muda e ainda bem...


BEIJOS E ABRAÇOS


4 comentários:

melocoton disse...

Andarilho,
Tenho de concordar com este título. A nossa mudança é diária, gradual e condicionada por tudo e por todos os que nos rodeiam.
Isto da idade tem as suas vantagens e com ela aprendi que:
Cada um de nós é único, embora mude ou se transforme, processo natural e inevitável, o nosso pior erro é tentarmos modificar os nossos semelhantes ou transformamo-nos em suas réplicas, só porque nos fascina ou achamos certo. A essência perde-se para dar lugar a imitações falsificadas e relações com alicerces frágeis.....
bjs

Andarilho disse...

P/ Melocoton: Que as pessoas mudam é um facto. Que tudo e todos contribuem para essa modificação também é outro facto. Que a essência das pessoas se modifique, já não concordo. Acho que a personalidade de cada um mantém-se inalterada, ainda que se modifiquem os gostos, os sonhos, os amigos...

Bj

Anónimo disse...

tiZé, confessa que já não escrevias tanto desde as correcções a verde dos meus projectos de aulas!!
Adorei as foto e quando for para a china espero que vás primeiro fazer o reconhecimento do local.
Bjinhos da nes

Andarilho disse...

TiNês: Ando com os nervos em franja a pensar nos rios de tinta verde que gastei naquele ano para depois virares acupultora (ou sei lá como isto se escreve)!

Interesseiro como sabes que sou, proponho fazermos ao contrário... Tu primeiro vais para a China treinar as agulhas e arranjar casa. Depois eu vou para lá hospedar-me com cama, roupa lavada e tudo mais que tenho direito (que é um monte de outras coisas, como deves calcular)

Bjs.