domingo, 15 de junho de 2008

IRRESPONSABILIDADE/SORTE

 SSI0021345_Veer

Pois que já suspeito que a Ana tenha razão. Não se poderá chamar sorte unicamente, deverá chamar-se irresponsabilidade. Mas irresponsabilidade, acompanhada de sorte.

Hoje não fui vender para a feira porque os meninos não quiseram, mas resolvi ir fazer uma visita às minhas colegas de negócio. Aproveitei e comprei uma caixa para os óculos escuros e quatro pincéis. Depois andei por lá junto da banquinha delas, fui beber uma cerveja e resolvi ir-me embora. Quando cheguei com os miúdos ao carro dei conta que não tinha as chaves do carro.

TINHA-AS PERDIDO!!!

Julguei que as tivesse deixado na banquinha delas, pois entretanto também tinha reparado que tinha perdido a caixa dos óculos e os pincéis, mas não. Estas coisas tinham ficado lá mas. o mais importante, as chaves do carro, nada! Entretanto já estavam a arrumar as coisas e o meu receio era que tivessem achado as chaves e que depois se fossem embora. Resumindo, fui ter com o senhor que me vendeu a caixa para os óculos, já se tinha ido embora mas o vizinho do lado tinha visto que ele tinha encontrado as chaves e entregue aos polícias que estavam à entrada da feira. Fui buscá-las e, mais uma vez, o assunto ficou resolvido.

Eu não sei se estou pior do que era, mas tenho ideia de toda a vida carregar nas costas este problemazinho de perder as coisas todas. Eu acho que a situação se agravou de há uns 5 ou 6 anos a esta parte quando comecei a usar uma pasta para as coisas da escola. Até lá andava com a carteira no bolso detrás das calças e com as chaves no bolso da frente. Desde que comecei a usar a pasta, comecei a meter estes artigos na dita e a não colocar nada nos bolsos pois começou a fazer-me impressão. Ora, fora da escola ando então com as coisas na mão: carteira, chaves e telemóvel. De cada vez que paro para mexer no que quer que seja, deixo as coisas ao lado e depois é aqui que me acontecem estas desgraças. O pior é que eu estou sempre com a preocupação constante de não perder as coisas. Um segundo que seja que me saia isto da cabeça e é logo o suficiente para perdê-las.

BEIJOS E ABRAÇOS

6 comentários:

MELOCOTON disse...

Realmente tens de tomar uma atitude na tua vida. Um dia as coisas podem não aparecer e pode ser um caso sério. Sugestões: ter as coisas em duplicado e guardá-las em casa de amigos ou familiares de forma a evitar "desastres" maiores e poder recorrer quando necessário; usar sempre o mesmo tipo de "transporte de coisas"(porchetes, malas....);pedir à companhia para transportar as coisas ou estar atento/a a este tipo de situações....Mas aconselho-te vivamente a tomar uma atitude.....
De qualquer forma sempre que precises de guarida...sabes onde me encontrar:):):)
jinhos SORTUDOS

Bé disse...

O teu caso, é mesmo complicado,pois são situações sucessivas.
Entre a sorte e a irresponsabilidade ,é provável que uma tenha mais peso que a outra,mas o certo é que até ao momento,ambas teêm feito parte destes acontecimentos.
E como já te disse,não deves abusar da sorte,e sim reforçares a responsablidade.

Beijos

Ana GG disse...

Zé,Zé,Zé...tu dás cabo de mim! Acho que te habituaste a ter tanta sorte que te tornaste irresponsável!...não será uma coisa deste género?
O pior é se esse tipo de sorte se acaba e a responsabilidade já não existe. Não sei não...és um caso muito complicado que estudarei oportunamente quando o tempo me permitir, ou seja, quando regressarem as horas de tédio.
Um abraço apertadinho, daqueles que se dá aos amigos verdadeiros.

P.S.Desejo-te a continuação da boa sorte porque de contrário estás f.....! (não resisti, sabes que sou malcriada)

just me disse...

Pois... sorte lá tens... e um bocadinho de irresponsabilidade também...
Tenho de concordar com os comentários anteriores... um dia quando a sorte se acabar... eis o grande problema!
Quanto a essa falta de sorte, podias ter também contado a história da compra da mesa!!! Sempre dava um ar mais "contraditório" a este post!
Bjs

melocoton disse...

Reconheço que deves estar mais atento ao que se passa à tua volta para não te esqueceres de nada, mas já estava na hora de escreveres alguma coisinha. Não!!!!!
Pensei em te oferecer uma agenda eletrónica porque é fácil de transportar, mas também pensei que era mais uma coisa a transportar nas mãos e tu nessas coisas és um perigo...também não sei se seria devolvida caso a perdesses....
jinhos sorridentes

Andarilho disse...

P/ todas "as comentadoras":
Pois sim! (pronto, contentem-se com este "pois sim" porque eu não me está a apetecer dizer mais nada).
Só digo que sim, que adoro que me carreguem as coisas e, sempre que posso, dou tudo para guardarem nas malas. O problema maior é quando estou sozinho...
Just me, sabes que eu estou à beira de uma depressão de cada vez que me vem à memória esse episódio e o que fazes tu? Relembras-me! Cá se fazem, cá se pagam!
Beijos