sábado, 7 de junho de 2008

Os fins-de-semana são sempre assim.
Eu a querer que os miúdos façam os trabalhos de casa e eles a inventarem mil e uma desculpas para adiar. O jogo está quase a acabar, o programa da TV também...
Quando finalmente começam a fazê-los, começa outro PROBLEMA. Que não sabem fazer, que precisam de ajuda... E eu com o almoço para fazer e a casa para arrumar. Quando chego ao pé deles para os ajudar estão a brincar, uma vez que não sabiam fazer e eu nunca mais chegava. Não se pode perder tempo sem brincar. Quando chego, nem sequer têm lido o que tinham para fazer. Fico FURIOSO, peço para lerem, vejo como vão responder e volto a sair enquanto escrevem. Cinco minutos depois volto a ouvir: "Papá preciso de ajuda!!!". Tudo outra vez!
Às vezes conseguem levar horas a fazê-los, sem pressa nenhuma e eu farto de estar em casa.
Não acho que deva estar sentado ao lado deles enquanto os fazem. Não acho (embora o faça) que os deva corrigir e pedir para voltarem a fazer quando têm as coisas mal feitas.

BEIJOS E ABRAÇOS

6 comentários:

melocoton disse...

Pois migo, estas coisas de filhotes...desconheço. Deve de ter os dois lados: o prazer e a obrigação, mas depois de ponderadas, o prazer prevalece.

Tou de volta, espero.
Jinhos

Andarilho disse...

P/ melocoton:
Não percebi muito bem o quiseste dizer com o que disseste no comentário dentro deste contexto de trabalhos de casa... LOL
Beijos

melocoton disse...

Apenas queria dizer que há obrigação de ajudar os miudos a fazer os trabalhos de casa e tu a quereres ir passear....mas apesar de ficares (em casa)mais tempo do que gostarias, fica o prazer em os ajudar....
apenas isso..
jinhos

Andarilho disse...

P/ Melocoton:
Ahhhhhhhhh. Agora percebi e acho que tens razão.
Não sei é se na altura penso assim tanto no prazer que tenho em os ajudar... Depois, quando passa o stress e os T.P.C. estão feitos é que fico com essa sensação. :):):):)

Bj

Bé disse...

Pois é...como papá é esse o teu papel,e tu bem sabes que assim é!
A diferença é que os miudos,precisam de ter as suas regras,enquanto os adultos podem ter as suas prioridades.

Beijos

Andarilho disse...

P/ Bé:
Pois sei. Queixo-me, mas nunca trocaria este papel por nada. Faz parte de mim.
Bjs