domingo, 29 de junho de 2008

SÁBADO

Acordei e fiz o normal. Fui comprar uma cebola, um tomate e quatro pêssegos ao talho, sim ao talho. Depois fui ver o mercado municipal, fui ver o que havia no supermercado, fui passear ao largo e depois para o café comer uma tosta. Aquele que falei ontem que tinha sido remodelado. Aí fui informado pelo dono de que aquilo não tinha sido obra saída da cabeça dele. Foi tudo imaginado por um designer!!! LOL

Fui à Baiona comprar a sandes para levar para a praia e não me esqueci do bolo de torresmo que como sempre à beira-mar assim que chego à praia. Como à beira-mar para poder deitar fora, disfarçadamente, todos os torresmos que vou encontrando pelo pão afora. Odeio os torresmos, mas adoro a massa do bolo. Estes daqui são diferentes. São doces.

Na praia também foi tudo igual. Banho, passeio, sol, livro, banho, passeio,... Tanto repeti isto que me cansei. Ora, tive que dormir na praia. Acordei às 8, vim para casa, jantei e depois saí. Tinha ouvido dizer que iria haver marchas populares. Lá fui eu. Encontrei um casal do Porto com os filhos  que são amigos de praia do Gongom e da Maria que me informaram que as marchas já tinham acabado. O que restava? Muita coisa! Música pimba e gente a dançar toda entusiasmada. Eles foram para casa deitar os miúdos e eu lá fiquei a ver aquilo. Quando reparo bem, enquanto circulava pelo espaço, avisto uma mesa comprida com bolos, sumos e sei lá mais o quê. Mais acima descobri o ouro. Um grelhador, com um monte de sardinhas em cima e ao lado umas grades de cerveja. Depois de olhar bem para aquilo descobri que era tudo à borla. Nem pensei três vezes. Fui ao cesto do pão, meti-me ao lado do grelhador e fui tirando e comendo sardinhas. Às 11 da noite! Comi cinco. Quanto às cervejas, tirava da grade e, como não havia abre-garrafas (agora não me lembro se se diz assim, às vezes dão-me destas brancas), andava por ali a abrir num poste de electricidade. Com a primeira garrafa tudo correu bem. Da segunda vez já não posso dizer o mesmo. Tanto agitei a porra da garrafa que, quando finalmente a carica saltou, saiu cerveja em todas as direcções. Deste modo fiquei todo encharcado. Polo, casaco, calções, havaianas,... TUDO MOLHADO! Fingi que não reparei e continuei a comer e a beber como se nada se tivesse passado. Cheguei agora a casa mais cheio que uma mula e com um cheirete a sardinhas que não se pode. Sem contar com o cheiro a cerveja. Nem vou tomar banho de água fria outra vez. Que se lixe. Também vou ter de dormir em cima do colchão porque não me apeteceu trazer lençóis por isso não tem mal. Estou-me nas tintas.

BEIJOS E ABRAÇOS

11 comentários:

Anónimo disse...

Não pude deixar de sorrir! Até o imaginei e tudo...

Sabe que mais??? Esqueça a sugestão que lhe deixei e, se ainda for a tempo, agradeço que ma devolva. Se existe alguém que precisa dela, você não é, com toda a certeza. ;)

Até...

(Tenha uma noite tranquila, mesmo sem lençóis.)

Anónimo disse...

Boa noite, mais uma vez.

Acabei de ler o seu post de Janeiro, "Alegria de Viver".


...


Até mesmo hoje (ontem) sábado, tive imenso trabalho e não tive tempo para ir comprar a tela. De qualquer modo está decidido: vou pintá-la!!!! Não sou de desistir facilmente. :)


Até...

Andarilho disse...

P/ Anónimo:
Que rapidez a comentar!!! :):):) Mal eu tinha publicado, ainda estava a responder-lhe ao comment no post anterior e já estava a receber este.
:):):)
Boa noite também para si.
Até...

Anónimo disse...

Obrigada. :)




Até...

Anónimo disse...

Acordei há poucos minutos.
Enqunto durmo o tempo vai passando sem que tenha que gerir o turbilhão de pensamentos que permanentemente trespassam o meu pensamento. Às vezes são eles (pensamentos) que me querem controlar mas eu vou-lhes trocando as voltas, como posso.


Agora que já não me dá tanto a sensação de estar a "invadir" a sua privacidade (lendo este "Diário de Bordo"),apeteceu-me reler o post de Janeiro de que me falou ontem. Estava mesmo a precisar...

Entretanto, houve outro título que me chamou a atenção: "PENSAMENTO PROFUNDO".
Demorei na sua leitura. Ainda não tinha despertado suficiente bem. Era (é)um texto de John Lenon que me deixou pensativa. Terei que o reler de novo.


Houve outra coisa ainda em que me "perdi" por largos minutos. A esta altura já deve ter adivinhado... Isso mesmo!!! As fotos!!!!!
Só consigo fazer um comentário: Simplesmente Fantásticas!!!!!!

É tempo de parar de escrever. Peço-lhe que perdoe o facto de ter "abusado" deste seu espaço em que, para além de deixar alguns comentários, por vezes, fui mais além falando de mim.

Tenha um bom regresso a casa.

Até...

Kika disse...

Já vezes sem conta reclamei aqui um espaço meu. Pelas mais diversas razões. Agora arranjei mais uma, eu não dou conta de comentar tanto post.
É - me impossivel!
Juro que leio! Juro que tenho gostado e amado tantos...este não, diga-se...mas és tu, mesmo tu que aqui estás, logo...nada a registar ou a reclamar.
Mas gosto doutros.
Gosto tanto quando mostras faces mais profundas da tua pessoa, que eu sei que existem mas que gosto tanto de lêr.
Resolvi sintetizar os muitos comentários que te devo neste unico.
Eu leio-te.
E gosto.
Desculpa se não comento mais.

Beijo

Andarilho disse...

P/ Anónimo:
Ainda bem que já não se sente a "invadir" este espaço ou a minha privacidade. Sabe, já a sinto de "casa"!

Também gostei muito desse texto do John Lennon, daí o ter copiado para aqui.

Quanto às fotos da viagem pela Ásia ficaram muito aquém do que foi por lá vivido. Foi a primeira vez que viajei sozinho e amei. Nunca me senti sozinho, apesar de muitas vezes andar por lá sozinho.

É bom que vá falando também de si enquanto comenta. É a minha única forma de a ir conhecendo também. Já pensou em começar um blog?? (pense nisso a sério). De qualquer forma, se preferir, poderá sempre usar o meu mail para comunicar comigo pois eu nem sempre me apetece actualizar o blog.

Bj.


P/ Kika:
Não me faltava mais nada do que tornar este blog numa maçada de posts profundos para te agradar. Se tu bem reconheces, este meu último post mostra bem como eu sou no dia-a-dia. Para quê andar a produzir textos profundos a torto e a direito se eu nem sempre estou nessa de profundidade? Estás farta de saber que eu gosto de ser básico, fútil, despreocupado ou preocupado com coisas sem importância e tudo o que de menos profundo houver por aí. Acho mas giro.

Beijos.

Anónimo disse...

Boa noite.

Obrigada por me já me considerar "de casa"e pela sugestão de utilizar o seu e-mail para comunicar consigo mas não o irei utilizar.

Gosto muito dos seus "escritos" e continuarei a vir aqui todos os dias (ou quase), mas apenas para o ler.

Uma pergunta: Já acabou a tela? Pode sempre fotografá-la e colocar aqui no Blog. Gostaria imenso de a ver.

Entretanto, se eu pintar a minha, dir-lhe-ei qualquer coisa. :)


Até...

just me disse...

Pois que és tu!!! Consegui "rever" a cena toda na minha cabeça... como se fosse um filme... de comédia!
Só faltava lá eu.... o quê? Sardinhas à borla? CERVEJAS À BORLA??? teríamos de aproveitar... Se soubesses o que te esperava, aposto que nem tinhas jantado em casa... assim conseguirias comer muito mais! (fez-me lembrar os belos tempos dos jantares das editoras!)
Quanto ao objecto que serve para abrir as garrafas chama-se "abre-garrafas"... só não percebi como se abre uma garrafa com a ajuda de um poste de electricidade(???)...
Por fim, deixo-te uma recomendação (dada por um amigo meu): andar sempre com um abre-garrafas no bolso (no porta-chaves por exemplo), pois nunca se sabe quando nos irá fazer falta! A mim com certeza que faz, pois não as sei abrir de outra forma! Mas ainda não tive tempo de comprar uma miniatura para colocar no porta-chaves!

Bjs..."alarvos"! :)

Andarilho disse...

P/ Anónimo:
Olá :)
Ainda não acabei a ela porque resolvi pintar na parte de cima uma cor que ficou muito escura e agora não gosto muito daquilo. Enquanto não me habituar ou não arranjar solução não o acabo. O desenho é um padrão dos anos 60. Agora estou numa fase de pintar formas geométricas. Não sei se farei isso de colocar no blog a foto. Se pintar a sua tela como me vai mostrar??? ;)

Bj


P/ Just me:
Era só no que eu pensava enquanto comia as sardinhas. LOLOLLL Quem me mandou a mim jantar em casa??!!! Pois faltavas tu sim. Concordo contigo também :belos tempos esses dos jantares das editoras...

Olha também eu não sabia como abrir garrafas em postes de electricidade. Sabes que eu arranjo maneira de me desenrascar quando preciso. Com a garrafa na mão, a cerveja não ficava lá dentro. Em último caso iria a casa abri-la.

Eu uso sempre o mesmo abre-garrafas. Deu-me a Maria. Fez na escola quando tinha dois anos no dia do pai. Há 15 dias partiu-se. Fiquei com o coração partido também quando vi aquilo. Está à espera que eu o cole. Não o deito fora, adoro.

Bjs

Anónimo disse...

Não sei... :(