quinta-feira, 24 de julho de 2008

AMSTERDAM (PART 3)
Hoje de manhã, por volta das 8.30h, levantei-me da cama. Ia tendo um treco quando verifiquei que a Vanessa já tinha ido tomar o pequeno-almoco. Tomei banho, desci e encontro-me com ela nas escadas a dizer que ia acordar a Susanita. Fiquei logo semi-doente porque o meu plano consistia em sair hoje de manhã cedo. Aproveitar o facto da Susanita estar a dormir e diria à Vanessa que não poderia esperar.
Tomei o breakfast e estive de conversa com o Dan, o tal de Barcelona que chegou ontem à noite e que conhecia a Susana da net. Subi, já a Susana tinha saído do banho e se estava a vestir. Não tive outro remédio a não ser dizer que hoje queria ir sozinho. Fui com a desculpa que eles queriam ir tomar café, que eu já tinha tomado e que, por isso, ia já andando porque era o meu último dia e tinha que aproveitá-lo. Trocámos os números de telefone, combinámos que esta noite iríamos jantar todos juntos e peguei na bicicleta directo para uma feira de coisas em segunda mão. Muito fraca a feira! As nossas são melhores. Esta tinha umas 10 barraquinhas com coisas velhas e o resto eram tudo artigos novos. Sem jeito nenhum. Comprei uma porcariazinha para poder dizer que tinha comprado lá qualquer coisa.
Depois fui até ao centro porque ontem tinha visto aquilo tudo mal. Levei lá até às 5 da tarde. Entretanto fui ao SEX MUSEUM. Bem melhor do que o erotic museum que vi ontem. Achei este muito giro.
Quando queria voltar já não me lembrava muito bem onde tinha deixado a bicicleta. Andei, andei e andei até que finalmente a vi. Vim numa correria para ver se apanhava o Van Gogh Museum aberto. Vinha eu muito descansado da minha vida, apitanto de 5 em 5 segundos para que as pessoas se desviassem da frente porque eu estava cheio de pressa, quando sou abordado pela polícia. Pensei logo: "Já está!!! Alguma fiz!!! Tou desgracado da minha vida!" Meti o meu ar inocente e cumprimentei o polícia que, com cara de poucos amigos, me informou que eu estava a circular numa estrada interdita a bicicletas. Esvaí-me em "sorrys", disse que não sabia que não podia andar por ali e que iria já sair. Antes que ele dissesse fosse o que fosse, perguntei logo se sabia onde ficava o museu. O homem, contente com a possibilidade de ser prestável, deu-me logo as informacões e meteu-se a andar na sua mota. Eu quando peco informacões, seja em que sítio for, só ligo até à segunda curva que me mandam fazer. A partir daí faco um ar de que estou a ouvir, mas já me estou marimbando para o que as pessoas dizem. A seguir volto a parar e pergunto outra vez. Como o meu mapa está já todo rasgado, orientar-me por ele é uma confusão e, estando com pressa, é melhor perguntar. É mais rápido. Perguntei a 5 pessoas até que finalmente cheguei ao museu. Fiquei numa tristeza que só visto. Tinha fechado a bilheteira. Apesar de fechar às 6, a venda dos bilhetes é até às 5.30h e eu não me lembrei deste pormenor básico... Voltei para o hotel e aqui estou a escrever. Ainda nem subi ao quarto para ver se elas lá estão. Julgo que sim porque as bicicletas estão aqui à porta.
Amanhã vou para Berlin ter com a Ana. Ainda não vi a que horas é o voo. Antes de ir para o aeroporto ainda tenho que ir devolver a bicicleta a cascos de rolha e quero ver se consigo ver o museu Van Gogh que fica relativamente perto aqui do hotel. Não sei é se terei tempo porque tenho uma ideia de ter o checkin às 11 da manhã. Logo se verá.

BEIJOS E ABRACOS

P.S. Enquanto estava eu aqui a escrever este post toca-me o telemóvel. Nao reconheci o número e pensei em não atender para não pagar o roamming. Felizmente atendi. Era o Gongom, estava no ATL e pediu o telemóvel emprestado a um colega do ATL para me ligar. Eu já estava a evitar pensar neles. Tinha combinado com a Pat que desta vez, em vez de telefonarem todos os dias como sempre fazem, iriam telefonar só dia sim, dia não MAS, nos dias não, mandariam sms. Ontem a Pat não mandou a sms. A Ana diz que eu sou picuínhas com isto. Eu sei que sou no que diz respeito aos meninos. Quando não os sinto perto fico preocupado se não sei deles.

5 comentários:

Bé disse...

Olá!
É sempre bom ter noticias tuas!
A tua preocupação com os meninos,é válida...tu deves fazer o género de papá (galo).
Bom voo até Berlin.
Não te atrases!
Só por si,já és divertido,mas mesmo assim,diverte-te!
Beijos

melocoton disse...

Estou ansiosa por saber o que vais achar de Berlim.....mas abriste-me o apetite pra Amesterdão...se é que já não estava aberto há mto tempo...
jinhos e continuação de boa viagem

Anónimo disse...

Boa noite, Andarilho!!!!

Desde a publicação do seu último post, antes da viajar, que não vinha aqui.
Nem imagina como me soube bem voltar a lê-lo. Você é simplesmente fantástico!!!! Mais uma vez, a sua escrita, faz um apelo constante à minha imaginação/criatividade.
É verdade!!!!!
Enquanto o leio,dou por mim a visualizar as situações que descreve de tal modo ao pormenor, que quase dá para sentir os cheiros, os ambientes, as cores, o bulício dessa grande metrópole, enfim... Eu bem dizia que ia viajar consigo.
E não é que me consegue mesmo transportar através das suas palavras???!!!!! ;)

Explore ao máximo essa sua faceta de "Aventureiro" mas não se esqueça de descer a terra no dia da viagem de regresso, para que não sucedam outras quaisquer peripécias, daquelas que só acontecem a pessoas (distraídas) como você. ;)

Espero ainda poder vir a ver aqui,as fotos que acredito que ainda não se cansou de tirar (espero eu).

Até breve e... tenha cuidado consigo.

Anónimo disse...

Olá, Andarilho!

Espero que tudo esteja bem consigo.
Ontem esqueci-me de lhe dizer uma coisa. É que eu já comecei a pintar as telas. Decidi fazer um díptico.
Depois lhe contarei...

Até breve.

Andarilho disse...

P\ Bé:
Olá
Fiz um bom voo sim;)
Cheguei ontem à tarde a Berlim e nao me atrasei! De manha ainda fui devolver a bicicleta e ao museu Van Gogh. Deu tempo para tudo. :)
Bjs

P\ Melocoton:
Adorei Amesterdao e vou voltar. Berlim ainda nao sei bem... O tipo de viagem tambem mudou, ja nao estou sozinho...
Bjs

P\ Anonima:
Nao imagina como eu fiquei contente ao ler o seu comentario ontem. Parece ridículo (por nao a conhecer), mas já estou habituado a le-los. Pensei que se tinha decepcionado com as minhas peripécias...
Quanto às fotos nao tenho tirado muitas. Dá-me seca ter de andar a tirar a máquina fotográfica da mochila (que está às costas) de cada vez que penso que até poderia tirar alguma. Talvez agora, com a Ana comigo, tire mais. :)

Como vai fazer para me mostrar as suas telas novas??? Espero que nao lhe passe pela cabeca nao me mostrar. :):);)
Bjs