terça-feira, 26 de maio de 2009

108-Zimbo Trio - Decis%C3%A3o
Não gosto de tomar decisões. Nunca gostei. Especialmente decisões que me soam a definitivo, ainda que hoje em dia ache que nada é para sempre. Penso que me poderei arrepender e que depois já não haverá nada a fazer.
Pior são as decisões que se têm de tomar por imposição de outra pessoa. Quando percebemos que o que quer que seja que se decida também terá implicações não só em nós, mas também noutra vida. O perceber que não se pode adiar mais faz-me sentir pressionado e a pressão em mim, nestas coisas (noutras não) é contraproducente no que diz respeito àquilo que a outra pessoa gostasse que fosse decidido.
Apesar de como disse no início, nas alturas que precedem as decisões pensar num eventual arrependimento, depois da decisão tomada raramente penso nisso. Não me esqueço que alguma coisa aconteceu para que eu tivesse que decidir. Os pressupostos iniciais de alguma forma tiveram de se alterar, caso contrário a questão não se colocava e não seria necessário uma tomada de decisão.
Prevendo situações destas, muitas vezes costumo pensar (e dizer):
 “Gostava que agora o tempo parasse por muito tempo.”
Mas o tempo nunca pára e eu naturalmente me adapto à nova situação.
BEIJOS E ABRAÇOS

10 comentários:

JS disse...

Como eu te compreendo... Tantas vezes tentei fazer pause na minha vida!!! Depois descobri que para além de ser impossivel, é melhor ser eu a ter o comando na mão.

Um abraço e boas decisões!

ANDARILHO disse...

P/ JS:

Não são nestas alturas que tento fazer pause. São em alturas anteriores, quando não se têm de tomar decisões e o momento está a correr às 1000.

Bj

bé disse...

Existem decisões,em que dificilmente conseguimos dar um passo em frente,sobretudo se nos sentimos pressionados(detesto pressão,é das coisas que mais me aflige)no teu caso concreto,terás que ponderar da melhor forma,e tu próprio sabes que nada é definitivo,só terás que decidir o que achares melhor no momento,depois o que for será...
Pensa e decide!

Beijos

Madame Butterfly disse...

Como dizia Lavoisier: "Na natureza nada se ganha, nada se perde, tudo se transforma".

Ás vezes uma decisão é apenas isso mesmo, uma transformação meramente formal daquilo que em nós já se transformou interiormente. E temos perfeita noção disso, falta-nos aceitar...e seguir em frente.

Estou como tu, também já decidi. Mas não consigo seguir em frente. Parei no tempo (e eu não queria!!!).

Beij*

LH disse...

Decisões abrem caminhos, mas também os fecham.
Ddecisões pedem muito de nóas, fazem com que achemos que seria bem mais fácil permanecer na sombra de tudo, sem sermos chamados à responsabilidade de decidir.
Mas, sem elas, a vida seria um caos ainda maiorQ!

Cumprimentos.

ANDARILHO disse...

P/ Bé:

Pois, por agora a decisão foi tomada. Depois logo se verá.

Bj

ANDARILHO disse...

P/ Madame Butterfly:

Não fiquei nada com a sensação que tivesse perdido na globalidade. Acho que ganhei muito nestes últimos 3 meses. De qualquer forma não sei se tens razão e não só não me apetece pensar nisso agora, como não me apetece escrever aqui.

Bj

ANDARILHO disse...

P/ LH:

Eu sei que o caos seria maior, mas ainda assim às vezes é preferível não decidir, ficar na sombra sem sermos chamados à responsabilidade de decidir. Deixar as coisas em standby.

Abr

Madame Butterfly disse...

Andarilho,

Ora lê lá bem com cama aquilo que eu escrevi. Quer-me parecer que não percebeste nada:P

Bj*

ANDARILHO disse...

P/ Madame Butterfly:
Ora, não tendo eu uma CAMA, optei por ler com CALMA.

Eu percebi muito bem aquilo que escreveste mas como TU não percebeste, eu não quero aprofundar aqui muito mais do que já o fiz. Foi uma forma de responder sem responder ao teu comentário. Eu sou assim, gosto muito de parecer básico e exercer sempre que posso. Entendeste???? :P