quarta-feira, 29 de julho de 2009

De manha meti-me a caminho da Tower of London. Demorei la dentro 3 horas. Gostei muito da Jewel House que e onde estao as joias relativas a coroacao. Tem filmes a explicar as coisas e ja estou doido para ver a proxima, assim que a Isabel for desta para melhor. A seguir fui para a Tower Bridge que fica mesmo ao pe. Nao me apeteceu subir, vi de fora. Devia custar um dinheirao dos diabos so para entrar e ver a vista. Vi tudo a volta e deu no mesmo.
Meti-me no autocarro e fui para a St Paul's Cathedral (a catedral onde o Principe Carlos e a Diana casaram). Entrei mas tambem nao paguei o bilhete para ver o resto. Da entrada dava para ver o essencial e alem disso grande parte da catedral e relativamente recente, pois a original foi quase toda destruida no incendio. Mesmo em frente a catedral tem um restaurante de sushi maravilhoso. Almocei la. Sentamo-nos ao balcao e vao correndo, numa passadeira rolante, varios pratos de comida com diferentes cores, cada cor tem o seu preco. Comi imenso e abusei do gengibre que adoro. Com cha verde ao desbarato e paguei 12 euros, achei barato.

Fui outra vez para o autocarro e passei pela Trafalgar Square onde fica situada a National Gallery que, apesar de estar num edificio giro como tudo, nao entrei. Nao faz muito o meu genero.

Voltei outra vez a Regent Street, comprei mais coisas e fui para a Carnaby Street que fica muito perto, numa paralela. Comprei mais artigos e fui para o metro. Resolvi voltar a Covent Garden por causa de umas calcas que nao havia numa loja na Carnaby. Quando cheguei, acabei por nao encontra-la (volto amanha) e estive entao a ver os espectaculos de rua que havia, ja que anteontem nao me apeteceu ver.

Amanha a tarde volto para Portugal. Ainda quero visitar a Tate Modern e tenho de ir ver se encontro as calcas ou em Kensington ou em Covent Garden. Nem sei como vou arranjar as coisas para nao pagar excesso de bagagem. So posso levar 15 kg e quando cheguei ja tinha 15,700 kg. Vou ter de resolver, ainda nao sei como porque so trouxe um saco dos pequenos do ikea food e nao posso levar mais do que uma bagagem de mao. Em ultimo caso pago o excesso e pronto, resolve-se o problema de imediato!

Acabei por ver tudo o que tinha planeado. Vai ficar por ver o British Museum numa proxima vinda. Sexta-feira logo respondo aos comentarios, coloco os acentos nestes e escrevo um post com o balanco.

Beijos e Abracos

terça-feira, 28 de julho de 2009

Hoje logo pela fresquinha fui para CAMDEN TOWN. Nao era preciso ir tao na fresquinha porque quando la cheguei, antes das 10 da manha, ainda as coisas estavam fechadas. Gostei bem mais deste mercado do que o de Portobello, mas nao se julgue que comprei um monte de coisas. Nada disso. Comprei apenas uma coisa para pendurar na parede de casa que nem sei bem para onde sera. Muitas das lojas que me interessavam estavam fechadas porque so abrem ao fim-de-semana. Almocei por la e depois tive de voltar ao hostel porque me tinha esquecido do telemovel.

Entrei e sai logo em direccao a TOTTENHAM COURT ROAD porque a Kika ontem no msn disse-me que tinha lojas que talvez me interessassem. Engano o dela, e uma rua sem interesse nenhum e de todo a evitar. A seguir, sem nada programado, resolvi ir para a CHINATOWN. Dos tres bairros chineses que vi (Singapura, Kuala Lumpur e agora Londres), este foi o mais descaracterizado. Nao tem mais que alguns restaurantes e lojas dos chineses iguais as que temos em Portugal. Nos outros sitios onde estive, parecia que mudavamos de zona, perfeitamente marcada ate na construcao das casas do bairro. Mas a zona e gira e andei a passear. Entretanto dei de caras com o NACIONAL PORTRAIT GALLERY. Esta galeria seria para ver se tivesse tempo no fim, mas nem sequer estava programada. Estando ali a porta, acabei por visita-la. Algumas salas sao giras. Continuando a andar dei com a PICCADILLY CIRCUS. A seguir fiz toda a REGENT STREET, que e a rua que mais gostei de Londres. Achava eu que Londres era toda assim, com aquele tipo de edificios. Os bairros mais pobrezitos (poucos) e que seriam como tudo o resto. Comprei uma serie de coisas, e claro... Encontrei uma loja que adorei e que nao comprei nadica de nada. A loja do National Geographic. Tem moveis lindos de morrer a precos inimaginaveis. Levava todos. Nao e uma loja de decoracao, vende roupa e o tipo de artigos do Coronel Tapioca.

A chegada ao hostel, um bocadinho antes da porta de entrada, enfio sempre tudo dentro de um so saco para nao parecer mal entrar no quarto cheio de compras. Esta gente que vem para os hostels nao tem uma onda materialista, vem com uma mochilita e pouco mais. Parece mal eu entrar com aquilo tudo. Sentir-me-ia depois desenquadrado...

BEIJOS E ABRACOS

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Hoje nao vou escrever muito porque nao me apetece perder tempo aqui. Estou ultra-tired!

Acordei as 5 da manha sem sono, sai a rua e tudo. Um frio de rachar e chuva que nunca mais acabava. Acabei por me voltar a deitar e acordei as 10h ja sem ninguem no quarto. Julguei que estava possuido pela gripe A. Um frio, uma dor de cabeca, um mal-estar geral que pensei que estava arrumado. Tomei logo um comprimido que acabou por me resolver o problema. Depois fui tomar um banho de agua fria porque os meus parceiros de quarto fizeram o favor de acabar com toda e qualquer gota de agua quente. Por momentos ainda pensei nao tomar banho, ja que tinha tomado a noite antes de me deitar. Nao tive coragem e enfiei-me debaixo da agua gelada. Depois fui a chuva a caminho da Westminster Abbey. Vestido a Inverno. So nao tinha caxecol porque nao trouxe, tinha um lenco em sua substituicao. Levei duas horas na Abadia a ouvir as explicacoes todas e mais algumas. Gostei muito e ja sabia que ia gostar, era um sitio que queria ver ha muito tempo.

Meti-me no metro e fui a caminho do Natural History Museum que tem um edificio lindo. Apesar de ter gostado, esperava mais. Cheio de miudos por causa dos dinossauros. Sai e entrei no Geological Museum que fica no mesmo edificio, a direita. Nao sei se pela minha area, mas adorei este museu. Tem uma exposicao muito gira sobre a Historia da Terra e outras sobre vulcoes e sismos. Claro que tambem tem minerais, rochas e essas coisas todas da praxe num museu de geologia. Parece mentira e nao ter nenhum meteorito. Felizmente o museu de Historia Natural do Rio tinha para eu ver e fotografar.

Apanhei um autocarro e fui para o Harrods. Sem saber o que comprar mas sem cara para sair de la de maos a abanar, vim com um cha. Gostei da caixinha pois nao tenho grande adoracao por chas. Eram 6 horas e depois de ter visto tudo quanto eram lojas das redondezas, resolvi voltar a Oxford Street para acabar de ve-la. Faltava-me a metade do lado oeste, ate ao Hyde Park. Aqui as lojas fecham todas as 9 da noite. Levei 2 horas enfiado no Primark que nao tem nada a ver com a porcaria do de Lisboa. Acabei por jantar na Oxford Street.

Beijos e Abracos

domingo, 26 de julho de 2009

Hoje acordei cedíssimo! Às sete da matina já estava a pé para me despachar. Fui directo para o Buckingham Palace comprar o bilhete, pois tinha visto na Sic ou na TVI que a abertura na época de Verão começava hoje. Levei um monte de tempo a despachar-me mas acabei por chegar perto das 9 e a fila era pequena. Em menos de nada um cabrão de um Italiano colou-se ao meu lado na fila e vi jeito de ele me passar à frente. Não passou mas estava a toda a hora a ver maneira de meter conversa comigo mas eu nao estava para aí virado. Às tantas, mesmo na bilheteira, lá meteu conversa, perguntou-me de onde eu era e eu, para fazer jeito, perguntei-lhe também e assim que comprei o bilhete fugi a 7 pés. Como a visita era só as 10.15h, ainda tive tempo de ir ver um bocadinho do St James Park. Entretive-me e quando olhei para o relógio já estava na hora. Tive de desatar a correr para a entrada do palácio, quando sou surpreendido com uma fila que nunca mais acabava. Fiz-me de desentendido, que não estava a perceber a que se devia aquela fila organizada de pessoas e passei à frente de toda a gente. Ninguém refilou! Gostei muito do palácio, aliás estava doido para visitá-lo desde há muitos anos. Foi hoje!

Mal sai do Palácio era uma concentracão tal de gente que eu não estava a espera. Estava a começar a cerimónia da mudança da guarda. Vi e tirei fotos já que também não podia fazer mais nada pois estava encurralado pelos guardas que tinham fechado as saídas todas dali.

Voltei ao St James Park para vê-lo em condições. Patos e pombos com fartura. Esquilos só vi 2 e ainda assim não estava à espera que fossem tão pequeninos. Os únicos esquilos que eu tinha visto na minha vida tinham sido o Bana e o Flapi... Já na Indonésia, quando vi os macacos no templo de Uluatu, pensava que eram uns macacões enormes (tipo gorilas) e sairam-me umas amostras de bichos.

Fui a Downing St só para dizer que lá tinha ido porque ver a porra da rua de esguelha e sem primeiro ministro incluído, não lembra ao diabo. Bem, se lembra a toda a gente, também me lembrou a mim. Isto era a caminho da Abadia de Westminster que era suposto também ter visitado hoje mas não pude porque fecham aos Domingos. Tive portanto de fazer uma pequena alteracão na minha planificacão e transferir a visita para outro dia (ainda não decidi se será amanhã, tenho que consultar a agenda primeiro).

Depois fui ver o Big Ben que era uma coisa que eu já nem me lembrava que existia em Londres. Felizmente houve uma turista que me perguntou a direcção e eu, depois de dizer que não sabia onde era, lá me meti feito doido à procura daquilo no mapa. Giro!

Por esta altura já eu estava morto de fome e nada de me aparecer um Starbucks pela frente. Acabei por perguntar a um guarda que me indicou um... Almocei e fui para a London Eye. Uma fila tambem enooooorne mas que se despachou rápido. Acho que não vale o dinheirão (17£) que damos por aquilo. Pelo menos já posso dizer que andei, que tirei fotos e que aturei 20 miúdos Japoneses e uma professora dentro da minha cabine a saltar e pular que nem doidos. Como ainda eram 3 da tarde e já tinha visto tudo o que tinha programado para hoje (menos a Abadia), resolvi meter-me a caminho de Convent Garden que era para ir só depois de amanhã. Andei por lá, não tive grande pachorra para ver os espectáculos de rua que havia por todos os lados, fui ver as lojas das redondezas, sentei-me a comer e voltei para o Hostel. Ja vi que nao posso deixar coisas importantes para o fim da tarde. Com o cansaço que tenho em cima, já nao me apetece ver nada. Só comprar, ver, nem por isso.

BEIJOS E ABRAÇOS

sábado, 25 de julho de 2009

LONDRES

Pois era suposto ter vindo aqui antes actualizar o blog mas nao tive tempo...

Estou em Londres! Cheguei ontem `a noite e se me pusesse a contar as peripecias que me aconteceram logo ontem, ainda em Portugal, nao saia daqui hoje (nao sei meter os acentos, como ja verificaram). A Pipoca e a Tininha (ainda se lembravam dela? Eu proprio as vezes me esqueco e a coitada leva 3 ou 4 dias sem comer) ficaram a pernoitar em casa da Kika ate hoje, que e suposto passarem para os cuidados dos meus pais.

Enfim, com os atrasos do estupor do aviao (que por sinal ia perdendo apesar de ter ficado 3 horas a secar no aeroporto), cheguei ao hotel as 3 da matina. Nem sei como ca correu tudo certo, com os autocarros ainda a funcionarem.
Obvio que estou num hostel com 21 companheiros de quarto. Giro o hostel e bem localizado. Hoje de manha acordei as 8 da madrugada e ja nao estava quase ninguem. Um descanso porque assim nao encontro ninguem a empatar-me a casa de banho.

Como nao tive tempo de escrever no blog (estive na zambujeira e em Odeceixe a semana toda na praia) tambem nao tive tempo de planear o que quer que fosse da viagem. A Madame Butterfly deu-me um monte de dicas, uma que conheci no facebook tambem, a kika, etc mas nao defini nada para fazer. Hoje de manha acordei e resolvi que ia para Notting Hill, a feira que ha aos sabados na Portobello Road. De inicio nem estava a gostar muito pois aquilo estava cheio de gente mas depois entusiasmei-me. Comi la um crepe com noodles que a cabra da mulher me garantiu que nao era spicy e que me vi grego para comer de tao spicy que era.

A seguir fui a pe para Kensington Gardens e fui visitar o Palacio de Kensinghton que era a casinha da Diana. Nao gostei la muito, mas pronto, gostei um bocadinho. Depois, com o tempao que levei a ver esta porra toda ja nao fui a tempo de ir ver o Museu de Historia Natural. Fui entao a caminho da Oxford Street para ver se desanuviava a cabeca (comprando
artigos). Pronto, ja comprei 5 coisas o que quer dizer que se continuar assim terei comprado 30 no fim da viagem e estou no limite de peso de bagagem (para variar)... Fui ao meu Starbucks comer um gelado e vim para o hostel porque ja eram 9 da noite e estava morto de cansado. Resolvi que nao trazia mochila e trouxe um saco de meter a tiracolo. O peso daquilo deixa-me completamente descadeirado.

Agora ja tenho na minha posse um plano de tudo o que quero ver, distribuido pelos dias que ca vou ficar. Estou a organizacao em pessoa. Um homem novo!

Se nao vou agora para nenhum Pub??? Pois se eu estou hospedado num... Ontem quando cheguei aqui ate o homem da recepcao me deu uns tampoes para os ouvidos. Nao foram necessarios porque o meu quarto fica nos confins e nao se houve nada.


Beijos e Abracos

terça-feira, 21 de julho de 2009

Ora bem, exterminei a pequena (pequeníssima, para ser sincero) gordura que tinha acumulada na parte inferior da barriga, de forma consistente. Digo consistente porque, não sei como, ela aparecia e desaparecia sem explicação plausível. Habitualmente era sempre a seguir a uma refeição, mas agora já não, sumiu  e espero que de vez. Agora estou bem ou óptimo, para ser rigoroso já eu gosto de precisões neste âmbito. Apesar de andar a espalhar aos sete ventos que ando de dieta, até nem estou, é só para parecer. Toda a gente faz, eu também faço. Na verdade eu é que não tenho tido muita paciência para fazer comida e, não sei como, não tenho tido fome…

Não ter barriga não é nenhum mar de rosas, não se pense. Tem os seus inconvenientes. A maioria das pessoas não repara, mas eu reparo porque dou conta de tudo. O meu sentido de observação inclusive dá cabo da segurança de todas as mulheres. Não bastasse observar, ainda comento o que não era suposto. Bom, mas isto é outro assunto que não me apetece agora aprofundar. Estava eu a dizer que isto de ser magro (leia-se elegantíssimo) é um problema quando se pretende comprar roupa. Eu chego a uma loja qualquer e, num ápice, arranjo montes de coisas para comprar. Mas raramente compro sem provar. Apesar de saber logo quando vejo um artigo exposto como me vai ficar vestido, como tenho sempre os braços a abarrotar de coisas, necessito de fazer uma selecção enorme e criteriosa. Vou então para os provadores. Visto-me, olho-me ao espelho, vejo como fica e tenho um ataque de nervos. Apesar de imperceptível, muitas lojas têm um defeito propositado nos espelhos com o objectivo de fazerem as pessoas mais elegantes. É imperceptível para todos, mas perfeitamente identificável por mim que fico sempre com um ar mais magro do que estou e depois não gosto de me ver com o que estou a provar. Resumindo tenho de provar tudo vinte vezes antes de comprar, verificar que, apesar dos espelhos não jogarem a meu favor, fico bem com tudo (a menos que o artigo tenha sido mal concebido) e comprar, às escuras. Se fosse uma pessoa gorda não teria destes problemas, via-me ao espelho elegante, comprava e só depois, em casa, quando voltasse a vestir o artigo é que verificava que me ficava um caos. Há várias lojas com este método, a Massimo Dutti, Pepe Jeans e Springfield são alguns exemplos.

Será que os donos destas cadeias vão-me obrigar a retirar este post a troco de vales de compras elevados? Se o virem desaparecer já sabem, é que eu sou um vendido, por isso…

BEIJOS E ABRAÇOS

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Vim só avisar que estou vivo…(eu sei que deviam estar preocupadíiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiissimos por eu não actualizar isto…)

Não se pense que eu tenho estado para aqui deitado no sofá, inerte e sem nada que fazer nestes dias. Nada disso. Tenho andado ocupadíssimo, como sempre. Lembrei-me e passei directamente à acção. Ora, eu tenho alguns móveis em casa que já não gosto e que portanto quero, porque quero, substituir com urgência. Farto-me rapidamente de ter a casa muito tempo igual. Mas os móveis estão bons e custaram dinheiro. Além disso não estou para carregar com eles para o sótão já que depois fico com uma dor nas costas grande. Dor essa que me incomoda não me permitindo, depois, fazer nada. Inclusivamente com essa dor nem na praia eu consigo estar bem, deitado. Perante estes problemas todos e com esta necessidade imperiosa de me desfazer das porcarias que tenho em casa, não fiz mais nada. Agarrei na máquina fotográfica, fotografei tudo o que encontrei em várias posições e coloquei tudo a vender na Net. Enquanto estava à procura de um local para vender estas coisas descobri uma mesa que gostei, também à venda. Resolvi logo que a comprava. Andei a trocar mails e telefonemas com uma mulher que meti na cabeça que era uma burlona desgraçada. Julguei que a mesa era roubada e que ela se queria desfazer dela rapidamente. Até achei que era uma mulher que aparecia na Sábado desta semana e que era procurada pela polícia. Adorei logo. Eu, Andarilho, um receptador de mercadoria roubada. Fiquei num entusiasmo que só visto. Resolvi logo marcar com o marido (mentirinha dela, era tão marido dela como eu) e ontem meti-me no carro para ir a Lisboa ver a mesa em questão. Ia numa excitação só de pensar que ia entrar num armazém com os artigos roubados. Inclusivamente, eu e o Carlos (que foi comigo), escondemos tudo quanto eram cartões multibanco e VISA´s num bolso das calças prevendo um assalto à mão armada em pleno armazém. Até pensei num tiroteio. Chegado lá, apanhei uma desilusão. Não me pareceu que se tratasse de burlões. Não sei se por isso, mas com toda a certeza ajudou, desmotivei-me com a compra e não achei grande piada à mesa. Era em Teca (a minha madeira preferida) e baratíssima, mas não amei… Se fosse roubada… agora assim????

Enfim, vi numa loja um outro móvel que adorei e por isso vou ter de vender o que tenho em casa equivalente. Entretanto já tive várias propostas para umas cadeiras que também tinha a vender. Tantas que já nem respondo aos interessados porque já não sei se as estou a vender baratas demais ou se até já gosto outra vez delas e não as vendo. Problemas!!!

Não bastasse esta agitação toda, vendi num ápice hoje os meus sofás da sala. Amanhã vêm uns fulanos de uma transportadora buscá-los. E agora??? É que agora não tenho sofás para colocar no sítio destes. Só tenho preocupações… Vendi barato, barato. Menos de 1/4 do que me custaram mas se não vendesse ao desbarato acontecia-me o mesmo que com os do escritório que tive de os mandar para o lixo e nem um cêntimo aproveitei.

Beijos e Abraços