quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Não vais à feira este ano!

Durante 2 semanas não podes ver os morangos!

Amanhã não vamos ao Mac Donalds como tínhamos combinado!

E pronto! Disparei estes 3 castigos de uma só vez para cima do Gongom por causa de me ter escondido um recado da escola a informar que não tinha feito um TPC. É que este não tinha sido o primeiro recado. Já trouxe para casa recados de todos os tipos, formas e feitios. Ou não levou o material, ou não fez o TPC, ou não teve bom comportamento ou a nota não foi a melhor. De tudo já lhe aconteceu. Eu sei que a mudança de ciclo lhe alterou os hábitos e que são muitas informações novas ao mesmo tempo, mas também vejo que os recados das professoras teriam sido desnecessários se ele tivesse ouvido os recados dados em casa. Eu compreendo que muitas vezes ele até tem razão na forma como argumenta para explicar o sucedido e que algumas vezes as professoras terão sido muito rigorosas. Fazer três páginas de trabalhos de uma disciplina e esquecer-se de copiar um texto de três linhas do livro para o caderno, tem o mesmo registo como se não tivesse feito nada: Não fez o TPC! Não fez tudo, é como se não tivesse feito nada! Como é óbvio não lhe dou razão, explico que é obrigação dele fazer tudo, mas ele sente-se injustiçado. Depois diz-me que não gosta de mostrar os recados porque depois eu fico zangado e eu fico ainda mais zangado. Apesar de ter tido sempre conversas com ele no sentido de alterar comportamentos e criar hábitos e métodos de trabalho, no Sábado quando descobri que havia outro recado fiquei doente e meti-o de castigo. Coitado, ficou numa tristeza que só visto. Sábado e Domingo ainda as coisas passaram. Ontem quando viu que não podia ver os morangos durante 2 semanas ficou numa tristeza que só visto. A Maria a ver e ele nada. Eu a dizer-lhe que tinha de ir para o quarto porque a irmã não estava de castigo e ele a dizer que não queria ficar sozinho e a sugerir colocar uma venda nos olhos para poder ficar connosco na sala acompanhado. Fiquei com o coração partido. A pedir para ir à feira só ver a Maria andar nas coisas mas sem ele andar em nada… A dizer-me que o colega F. é que tinha tido sorte porque só tinha apanhado com o comando da televisão no rabo (com força porque até as pilhas saltaram para o chão) e a sugerir que eu trocasse os castigos dele por uma palmada no rabo que até podia ser com o chinelo… Entretanto hoje chegou com uma nota boa num teste e a dizer-me que eu poderia reduzir-lhe os castigos e eu nada. O pior é que eu o sinto triste, com pena de não conseguir corresponder às expectativas, mas a fazer um esforço para não fazer nada de errado. Claro que me custa fazer-lhe isto, mas também penso que se não for agora a alteração dos hábitos, dificilmente se alterarão depois. Mas sinto-o sem liberdade, sem tempo para brincar e com dificuldade em gerir o tempo livre. Depois também sei que ele precisa de orientação minha e eu nem sempre estou disponível por causa dos meus TPC´s, comida para fazer, casa para arrumar, etc. No meio disto tudo estou arrependido de ter dado logo estes três castigos. Porque não dei só um? E porque os dei logo com uma duração daquelas? Agora não posso ceder… De qualquer forma ele agora está muito mais atento a tudo, a tentar controlar todas as frentes e a corresponder ao que eu lhe digo. Ao mesmo tempo hoje, depois de termos estado os dois a estudar no quarto dele (enquanto a Maria via os cabrões dos Morangos), eu senti-o a gostar de fazer o trabalhos. :)

BEIJOS E ABRAÇOS

4 comentários:

Kika disse...

Sendo o assunto seriissimo dei-me ao trabalho de ler tudo muito atentamente e sem interrupções. Talvez tenhas exagerado no castigo. Não me parece, foi a conjuntura que fez com que assim acontecesse ( Feira+Mc Donalds). Por outro lado conheço a "peça" em questão :) e tal como o Pai faz ele vai tentar inverter o jogo a favor dele, e o o Pai, tal como o filho, vai esquecer-se daqui a uns dias de ser tão rigoroso. Por isso é importante, enquanto os dois estão compenetrados no seu papel que as coisas sejas feitas mesmo a doer. A bem do futuro.

:)

Beijo

JS disse...

Por mais que nos custe, acho que é importante não voltar atrás.

É muito dificil criar um filho, eu tenho duas Marias, uma de 6 e outra de 2 anos. A de 6 é a Mafaldinha autêntica e a de 2 terrorista.

Muitas vezes vejo-me literalmente à rasca!!!

Um abraço*

ANDARILHO disse...

P/ Kika:

Pois e assim foi feito! Mas que me custou mais a mim do que a ele, custou!

Bj

ANDARILHO disse...

P/ JS:

E não voltei atrás. Vontade não me faltou com ele a toda a hora a mostrar-me evidências da melhoria. Depois dizia que estava bem e eu em contrapartida não reduzia o castigo! Enfim...

Bj