terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Beeeeeeeeeeeeeeeemmmmmmmmmm. Vem um gajo aqui lamentar-se de tudo e mais alguma coisa e depara-se com tuuuuuuuuuuuuuudo diferente. Refiro-me ao Windows Live Writer. Fiz uma actualização na semana passada do MSN e não bastasse aquilo também estar tudo mudado e eu ainda não perceber bem todas as funcionalidades, agora deparo-me com isto também. Vá lá que estou de férias interrupção lectiva, para ter tempo de estudar estas alterações todas. Posto isto, vamos lá ao que interessa.
Ontem vislumbrei na caixa do correio um papel que não foi do meu agrado. Nunca gosto deste género de papéis. Um aviso para ir ao correio buscar uma carta registada das finanças. Fartei-me de pensar mas não me ocorria nada que tivesse de pagar. Até cheguei a ficar na dúvida se seria a segunda prestação da contribuição autárquica que me tinha esquecido de pagar, mas achava pouco normal que fosse porque este tipo de despesas (qualquer despesa, vá) consomem-me os nervos de tal ordem que pago logo para ver se me esqueço rapidamente do que gastei. Hoje de tarde resolvi aventurar-me e fui para o correio (o balcão certo porque na semana passada enganei-me e fui perder meia hora no balcão errado buscar uma encomenda). Tirei o ticket e só tinha 20 pessoas à frente. Esperei, desesperei, voltei a esperar e a desesperar quando verifico que me estavam a chamar. Sendo suposto estar na minha mão direita o papel para levantar a carta, não estava.  Desembestei correios afora para ver se estava no carro e nada do cabrão do papel. É que entretanto, enquanto esperava pela minha vez, andei às voltas por ali. Até numa loja que ali estava perto eu tinha andado, não fosse haver algum artigo barato e absolutamente necessário para comprar. Foquei-me no problema, olhei em todas as direcções e rapidamente encontrei o papel caído no chão, no meio da chuva, perto da entrada do correio. Acabei por voltar a entrar, explicar à senhora o que me tinha acontecido e passei à frente da senhora aproveitadora que tinha passado à minha frente só porque eu não apareci quando chamaram o meu número. Depois de assinar (enganei-me três vezes no sitio) a funcionária dos correios deu-me para as mãos logo duas, DUAS (!), despesas cartas. Abri e fui logo ver se havia alguma referência para pagar. Havia. Voltei a abrir a outra e de novo fui confrontado com outra referência multibanco. Vi o valor e morri. Li o valor da outra carta e voltei  a desfalecer. Ainda pensei quando tivesse visto o primeiro que a carta por engano tivesse vindo em duplicado mas rapidamente rendi-me às evidências. Os valores a pagar são diferentes. Já só em casa, quase com um Alprazolan Rathiofarm debaixo da língua, é que percebi que tem qualquer coisa a ver com a casa. Uma liquidação oficiosa (nem sei o que é isto, mas não me parece boa coisa) de um imposto de selo. Sendo duas cartas, serão logo dois impostos de selo… Sendo dois impostos de selo, tenho de pagar mil e setenta e um euros e quarenta cêntimos. Amanhã vou direito às finanças fazer a minha cara de pobre para ver se percebem o que estão a fazer comigo. Nem sei que roupa leve vestido.
B. e A.

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Casa dos Segredos II

“Olá Zé. Sou uma fã tua. Podes adicionar-me?”

E pronto, mais uma mensagem privada no facebook de uma outra fã da casa dos segredos!

B. e A.