segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Noite de Passagem de Ano- Balanço

Pois que gostei.

Há anos que não seguia nada na televisão porque me desinteressava logo no primeiro episódio de cada vez que pensava preso aos seguintes. Desta vez, talvez também por saber que seria a Teresa Guilherme a apresentar, decidi-me a ver a casa dos segredos. De início não via os diários, via só as galas e as nomeações. Depois passei a papar tudo e a envolver-me com todos os residentes. A opinar acerca de todos, a gostar ou a detestar uns ou outros. E, novidade das novidades, a votar (online, é claro porque para gastar dinheiro num programa de televisão ainda falta muito). Até cheguei ao ponto de entrar online no chat na 2ª feira e fazer uma pergunta à Teresa, no dia seguinte à sua expulsão.
Ir à gala do final do programa foi ouro sobre azul. Ver de perto todos e verificar se as minhas opiniões acerca deles se mantinham. Melhor ainda foi ficar sentado precisamente ao lado da gorda da Fanny, para não perder pitada. Também tive a oportunidade de me ver com mais 20 kg de cada vez que me vi na televisão e não gostei. É uma motivação. De cada vez que quiser fazer dieta, basta lembrar-me de como fico em ponto gordo.

Ora bem, vamos lá então, um por um:
  1. Bruna: Vulgarona como desde o dia em que apareceu enfiada naquela bola de cristal a fazer gestos com a mão para que as pessoas ligassem para que entrasse na casa. Felizmente não entrou. No intervalo conseguiu estampar-se escada a baixo ficando de pernas para baixo em cima das pessoas da plateia. Infelizmente não tive oportunidade de ver. Estava como um louco atrás de uma bandeja com copos de champanhe que estavam a oferecer.
  2. Delphine: O horror em forma de gente, tal como o previsto. Não tenho mais nada a dizer porque nem reparei nela enquanto lá esteve dentro da casa.
  3. Nádia: Não percebi qual era o segredo dela. Era segredo? Bastava olhar para a cara dela e para aqueles dentes ainda mais tortos que os meus para adivinhar o segredo. Teve o topete de me pedir que me levantasse para subir lá para o lugarzinho dela. Olhei-a de lado, mas levantei-me.
  4. Filipe: Também nem dei por ele na casa. Nesta altura ainda nem via os diários. Aquele segredo também não lembrava ao diabo. Foi o que lhe veio à cabeça e pronto, colou e entrou. Lá estava ele com o ar de quem sabe tudo.
  5. Sónia: Para quem não se lembra, era a burra que se julgava muito inteligente. Tão inteligente que ao fim da segunda estratégia de jogo os portugueses já a tinham posto na rua. Por outro lado, comparando com um namorado, não é preciso muito para se conciencializar de que tinha um QI acima do baixo. Empata com a Bruna em termos de vulgaridade. Fico muito na dúvida em quem supera quem. Talvez esta seja um pedacinho mais.
  6. João F.: Nem tenho a certeza se este era mesmo o nome dele. Falou. Deve ter negociado com a namorada e esta concedeu-lhe a oportunidade de falar. Claro que deve ter ensaiado vezes sem conta os votos de bom ano. Ainda assim a namorada estava louca da vida a pensar na porrada que tinha de lhe dar em casa se ele se enganasse. Com medo, recitou tudo na perfeição.
  7. Pedro: Continuava com aquela cara de gorila. Sempre de boca aberta, claro, com ar de não perceber nada do que se passa à volta. Confirma-se o ar que já apresentava no confessionário. Faz-se a pergunta, ele está de boca aberta, depois insiste-se que era uma pergunta e depois ele lá balbucia qualquer coisa achando que está a dizer as melhores coisas. Gordo como tudo. Para ele a televisão não engorda.
  8. Teresa: Gira, claro. Vestido giro, claro. Magérrima, mas bem, claro. Se ganhasse eu teria gostado, claro. Estando mesmo atrás de mim, lá tive que olhar para trás cento e cinquenta vezes, claro.
  9. Carlos: Foi o primeiro que vi mal cheguei à porta. De fato de cetim branco. Nem sei o que dizer. A coisa mais convencida que se pode imaginar. Mania que diz tudo de forma acertada e só lhe saem bujardas da boca. A namorada já tinha chamado a minha atenção antes de saber quem era. O cabelo rapado de um lado e comprido de outro estava lindo. De cada vez que me lembro que ele ousou cortar o cabelo da Teresa...
  10. Cleide: Mais gira o vivo do que na televisão. Pena é de cada vez que aparece diz tudo assim meio que aos solavancos, como se estiver a ler textos na escola primária.
  11. Ricardo: Pois. Lá estava. Foi munido do ar de vítima, que não faz nada e que os outros só lhe inventam intrigas.
  12. Susana: Indescritível. Aliás, perfeitamente descritível. Sósia perfeita da Jessica Rabbit. As mamas não são exagero da televisão. O silicone do rabo também não. Gosto dela mas não a quero metida com o Marco. Aliás, nem ela quer o Marco para nada a não ser para o show off.
  13. Paulo: Roubou-me a garrafa de champanhe de 1,50€ que eu tinha comprado no Jumbo e que estava ao meu lado.  Não só se serviu como fez a gentileza de servir meio mundo. Isto até ter sido elucidado que se encontrava a  cometer um crime de furto. Tinha tanta maquilhagem que até fazia impressão. Enquanto esteve na casa eu até gostava dele. Agora já não.
  14. Daniela P.: É gira mesmo. Pediu-me que lhe enchesse o cabrão do copo com o meu champanhe. Lá enchi, meio a contragosto. De qualquer forma, não sei se foi de ontem, mas não a adorei por aí além. Gostei, só.
  15. Miguel: Lá deu uma demão nos cabelos para alourar tudo até à raiz de forma a parecer apenas semi-falso. Tive pena de não ter oportunidade de verificar, in loco, a cara de pose quando sabe que o estão a ver. Aquela que ele aplicava de imediato, com a boca ao lado e com a mania que estava com ar de galã. Isto porque dentro da casa só se apercebia que estava a ser visto quando se olhava ao espelho ou então quando se apresentava no confessionário a fingir que estava a amar a Bruna. Até esta já percebeu o Miguel e se conformou que ele não é para ela, nem para nenhuma...
  16. Fanny: Não é tãaaaaaaaaaaao gorda como aparenta na TV. Afinal não precisa de perder 25 kg, mas somente 10. Aplicava sempre aquele riso de cada vez que a câmara apontava para ela. Ainda que, 5 segundos antes, quando a Teresa Guilherme sugeria que o João estava interessado na Daniela P., estivesse com cara de enjoo e a dizer "Ai meu Deus, lá vem ela outra vez com isto". Defraudou as minhas expectativas. Estava absolutamente convicto que ela iria proferir as sábias declarações dela, do tipo: "bates forte cá dentro". Fechou-se em copas e lá tive de ser eu a dizer, volta e meia, para ver se ela ouvia e se recordava para depois repetir. Fez-se de surda. No entanto não parece tão irritante como era na casa. Fiquei com a leve impressão que com a pressa de sair de casa para a gala se enganou na roupa e levou a da mãe.
  17. Marco: Parece mais alto na TV. Até gostei do rapaz. É certo que gostava mais se ficasse com a Cátia que tem muito mais a ver com ele. Assim, só gostei. No fim do directo, numa entrevista, a Teresa Guilherme disse que tem a certeza que ele não vai ficar com a Susana e que vai ter com a Cátia. Pois muito bem, nessa altura logo gosto mais. Por agora é o que se arranja.
  18. João J.: Não consigo entender como aquele banana ficou em 4º lugar. Nem como chegou à final. Toda a gente descansada a pensar que ele logo seria despachado na próxima nomeação porque era sempre imperioso mandar o outro nomeado embora para não perder oportunidade. No fim somos confrontados com o gajo na final. De qualquer forma achei que estava melhor ao vivo do que na televisão.
  19. Daniela S.: Gosto dela desde sempre. Claro que não era para ganhar, mas obviamente que a queria na final. Teve sempre a inteligência de se manter longe das confusões, fingir que estava tudo bem quando só lhe apetecia desatar ao estalo à Fanny (eu teria adorado, mas pronto) e com isto ganhar o dinheiro para pagar as dívidas. No fim, não sei porquê, ninguém lhe perguntou de quanto eram as dívidas e em que ela gastou o dinheiro. Gostava de ter sabido. Só porque sim.
  20. Cátia: Para mim era a que devia ter ganho. A Cátia foi, juntamente com a Fanny, a protagonista do programa. Foi ela que mais audiências deu, a que mais divertiu nos directos e nos diários. A que sempre nomeou quem quis sem ligar ou ceder a pressões dos outros. Acho que foi o preconceito em relação à falta de cultura geral, já que de burra não tem nada. Até me faz lembrar aquela entrevista idiota aos alunos da faculdade que a Sábado fez e que a mim não me disse nada. Ou por outra, até disse, mas nada a ver com o que foi veiculado pelos blogs afora. A Cátia, já cá fora, mostrou não ter a mínima noção da popularidade que tinha. Daqui a uns anos, quando se falar desta casa dos segredos, será sempre ela a recordada, tal como foi o Zé Maria. Nunca o João M. que só ganhou por causa da Fanny. Sem ela, ele não tinha sido nada. Tive mesmo muita pena que não tivesse ganho. Acho que merecia mais do que qualquer um.
  21. João M.: Eu gosto do rapaz, não disse que não gostava. Gostei que tivesse chegado à final. Só acho que não merecia o primeiro lugar. Só isso.
 No fim, se julgam que me vim embora, estão redondamente enganados. Não saí de lá enquanto não ouvi as entrevistas todas e mais algumas. Ah, e tirei fotos de todos e mais alguns. LOL
B. e A 

Sem comentários: