domingo, 25 de maio de 2014

Nos últimos 4 anos
Deixei de escrever sem filtros. Pelo menos sem os meus filtros e por isso, aos poucos, fui-me afastando daqui. Gostei tanto da primeira gata, que arranjei outra. Fazem parte da minha família. A palavra casamento voltou a entrar no meu dicionário. Quero casar-me e viver junto para sempre. Hoje percebo que ter-me casado com a minha ex-namorada teria sido a maior burrice da minha vida. A minha Mãe morreu e uma parte de mim morreu junto. Pedi desculpa a uma amiga, com um atraso de dois anos. Ela desculpou e eu fiquei contente. Fiz 40 anos. Pensei em largar tudo por amor. Descobri que não há ninguém 100% confiável. Recebi um telefonema a dizer: Estou grávida e agora não sei se é teu ou do meu marido. Fui acampar sozinho e não me senti sozinho. Apaguei todas as minhas fotografias do blog. Fui tão feliz. Estive tão triste. Vi uma série e adorei. Fechei este blog e hoje reabri. Envolvi-me com uma desequilibrada, sem saber. Fiz sexo com amor e sexo sem amor. Continuo a adorar cores. Fortes, só. Discuti muitas vezes como nunca tinha discutido na minha vida. E esta não é, definitivamente, a minha praia. Acabei uma relação, sem que tivesse deixado de gostar. Julguei que tivesse achado a tal, mas enganei-me. Continuo muito distraído. Comprei uma casa. Comprei outra casa. Viajei, perdi a carteira logo no aeroporto de Lisboa e levei dias a viver de dinheiro emprestado. Voltei a Londres mais 3 vezes. Estive completamente nas mãos de uma mulher e ela nunca teve essa noção. Voltei a Roma e vi o Papa (não sei porquê, só para ver, porque sim). Fui ao Vietname, Camboja, Macau e Hong-Kong. Passei mais de três semanas a caminho do hospital e todos os dias com medo de não ser preciso mais ir. Voltei a Marrocos. Continuo a ser a desarrumação em pessoa. Continuo a não agir por impulso, mas a pensar rapidamente quando diz respeito a coisas que me podem alterar a vida. Nas situações sem importância, sou indeciso. Tive a 2ª maior deceção da minha vida, mas não causou nem de perto o mesmo efeito que causou a 1ª. Eu decidi assim. Continuo a não dar saltos sem rede. Continuo a perder tudo (carteira, chaves do carro, carro,…) e a achar tudo. Perdi uma bimby e não achei. Concorri a umas eleições e ganhei. Depois fui eleito presidente. Mas era só isso, perdi logo o interesse a seguir à votação. Cada vez é mais claro na minha cabeça que vou tirar uma licença sem vencimento de um ano e aproveitar a vida. Tenho muito medo de ter sido injusto. Continuo determinado. Fui a Praga, a Estocolmo e a Paris. Fui perdoado e perdoei. Sim eu, ANDARILHO, perdoei. Vivi uma relação sufocante e fugi. Sinto-me livre. Mudaram-me sem que eu tivesse dado conta e hoje sou um gajo diferente de há 4 anos atrás. Tomei consciência do que quero para o meu futuro. E do que não quero. Arranjei um emprego em part-time. Passei a gostar de vinho branco. Ganhei rancor e depois passou. Voltei a ver alguma televisão. Regressei à minha essência, mas não recuperei a timidez. Deixei crescer a barba. Comecei a fazer pilates, larguei e voltei. Continuo sem parar, mas muiiiiito mais parado do que era. Até ver!!!! Estive com uma mulher a ouvir uma música que eu tinha dado a outra há uns anos atrás e senti-me incomodado. Continuo a adorar conversar. E a passear a pé, sem me cansar. Viajei 2 vezes com os meus filhos. Perdi 3 ou 4 aviões. Voltei a crescer. Senti-me usado. Descobri, por acaso, uma mulher que me estimula ao máximo, mas continuo parado a olhar ao longe. E nunca falei com ela. A vida já me ensinou: Esse tipo de mulheres NÂO, ANDARILHO. NÃO! Ouviste”S”??? Aderi ao acordo ortográfico. Comecei a preocupar-me com a velhice e a prepará-la. Quero ir a São Tomé, à India e voltar ao Rio. Corri atrás e, felizmente, não apanhei. Fiz uma coisa que não posso escrever aqui para depois não ser acusado e passar a ver o céu aos quadradinhos. Fui ao teatro. Estive muito apaixonado. Fartei-me de pintar. Fiz uma viagem acompanhado e detestei a companhia, ao ponto de me ter apetecido vir embora a meio. Encontrei uma imagem na net que dizia “Cansei de implorar para você ficar, qué ir? Vai logo! Se manda :)”. E não me dou ao trabalho de lhe explicar o motivo da minha mudança de atitude (sim, houve um motivo) e deixei-a a pensar que continuo todo tristinho. Tipo na última e à espera :( E ainda com a lagriminha ao canto do olho. Continuo arrogante e convencido. Esta semana disseram-me que eu tinha a mania que era Deus. Não sou??? Tinha saudades disto. Descobri que o perigo pode dar tesão. Fui seduzido, percebi o perigo e deixei-me levar. Até ao último minuto, até que ela me sentisse nas mãos dela (e em todo o lado). Depois, olhei-a nos olhos, meti um sorriso e vim-me embora definitivamente (ou não ;)), sem olhar para trás. Hoje estou tranquilo.
B. e A.

Mais uma vez a sequência do post não corresponde à ordem pela qual as coisas aconteceram na minha vida. Também as frases nem sempre estão ligadas com as seguintes. São só ideias soltas e misturadas que me vieram à cabeça quando me lembrei dos últimos 4 anos. Não foi só isto.
Quem é novo aqui e quer saber, resumidamente, os últimos 14 anos, basta clicar AQUI .

10 comentários:

cArLos disse...

Extraordinário este post... nem quero ver para trás... adivinho apenas... prazer em conhecer-te Andarilho, até breve :)

JS disse...

Pois eu ja tinha saudades de ti..

SRRAJ disse...

Quanta novidade :-) e no entanto tão tu. Que saudades de te ler.

Sandra

ANDARILHO disse...

P/ Carlos

Obrigado pelo elogio ao post. O que está para trás não interessa Carlos, a vida está à nossa frente. Daqui a uns tempos faço outro destes e terei de certeza outras coisas para dizer que fiz.

ANDARILHO disse...

P/ JS:
E eu de ti. O que me vale é que eu tenho sempre material de escrita. Coisas para contar nunca me faltam. ;)

ANDARILHO disse...

P/ SRRAJ:

Pois a questão é essa: Sou tão eu!!!

:)

Anónimo disse...

Olá! Fico feliz por estares de volta.
Agora vou ter de voltar cá mais vezes, pois adoro ler-te! Espero que não tenhas mudado, pois gosto de ti como és (ou eras)! Bjs da miúda, colega de grupo, agora também quase quarentona de albufeira! Saudades ;)

Anónimo disse...

P.S. Eu fechei o meu blog há umas semanas. Aberto por tua insistência mas parado há mais tempo que o teu esteve. Espero não me arrepender!

ANDARILHO disse...

P/ Anónima (és a minha anónima preferida, sabias? Eu sei que sabes ;))

Tens de voltar cá sempre. Ai se fosse eu a mandar. Fazias tanta coisa. Aliás, nem tinhas feito o que fizeste. Tinhas feito o que eu devia ter dito para fazeres. Mas não disse. Agora resta-me esperar. Sentado!!!

Pediste-me para fechares o teu blog? Se fui eu que insisti para fazeres um, teria de ser com minha autorização que tu o fechavas. Mas não. É o regabofe. Fechas o teu blog como se eu não tivesse nada a dizer sobre o assunto. Eu tenho sempre o que dizer. Aprende isso.
;)

Anónimo disse...

Ai andarilho, andarilho!... Pode ter passado 5 anos (já?), podes até ter mudado, mas continuas igual! E eu gosto de ti assim! Não mudes!
Bjs,
Anónima!